Licenciatura em Física

Licenciatura em Física

Centro de Ciências, Tecnologia e Saúde

Novas estruturas dos cursos de Engenharia Civil, Física e Odontologia são entregues a comunidade do Câmpus VIII

19 de Fevereiro de 2016

Prestes a completar seis anos de existência, o Centro de Ciências, Tecnologia e Saúde (CCTS) do Câmpus VIII da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), na cidade de Araruna, ganhou nesta sexta-feira (19) uma nova estrutura para o funcionamento dos cursos de Engenharia Civil e Física, bem como as clínicas odontológicas.

A solenidade de entrega dos equipamentos reuniu professores, pró-reitores, estudantes e lideranças políticas e religiosas da região, a exemplo do senador José Maranhão; do deputado federal Benjamim Maranhão; da deputada estadual Olenka Maranhão; da prefeita de Araruna, Wilma Targino Maranhão; e do presidente da Câmara da cidade, Francisco Erinaldo.

O dia foi de festa no Câmpus, com a concretização de um dos sonhos da comunidade universitária da região. Inicialmente, o reitor Rangel Junior cortou a fita inaugural, juntamente com o diretor do Câmpus, Leidimar Bezerra, com o senador José Maranhão e com a prefeita Vilma Maranhão. Os discursos foram feitos em tom de agradecimento, reconhecimento aos professores e funcionários da UEPB que se empenharam na obra e, principalmente, destacando a revolução que a chegada do Câmpus VIII causou na região.

Entusiasta da obra, o reitor Rangel Junior fez um pronunciamento breve, mas recheado de significados. Ele agradeceu a todos os professores e funcionários que contribuíram para a realização do sonho e enfatizou que mesmo em tempos de crise a UEPB se manteve em pleno funcionamento. Rangel Junior observou que devido à crise e restrições financeiras, o Bloco do Curso de Engenharia foi a primeira obra inaugurada por sua gestão.

O reitor ressaltou que a inauguração das novas estruturas possibilitará aos alunos de Engenharia Civil e Odontologia terminarem todo o curso no Câmpus VIII, sem a necessidade de se deslocarem para Campina Grande, como vinha ocorrendo. Ele lembrou que, somente no ano passado, a UEPB investiu quase R$ 1 milhão com bolsas estudantis e diárias para assegurar o deslocamento dos alunos de Araruna para Campina Grande, onde eles assistiam as aulas práticas e cumpriam o conteúdo programático. “Agora podemos garantir que todas as atividades acadêmicas dos cursos instalados em Araruna acontecerão no Câmpus, sem mais a necessidade de deslocamento para Campina”, enfatizou.

Para o reitor, com a entrega das novas estruturas físicas e laboratoriais do CCTS, a UEPB está ultrapassando mais uma barreira. Ele garantiu que vai continuar lutando para buscar melhorias para os outros câmpus da Instituição, mesmo sabendo das lutas e desafios que terá pela frente. Rangel Junior ressaltou que os problemas da Universidade são muitos e os desafios imensos. “Por isso, a cada dia é preciso buscar outros horizontes aproveitando bem o tempo presente sem olhar para o passado”, frisou o reitor, destacando a importância da educação como instrumento imprescindível para mudar a vida as pessoas, para garantir qualidade de vida e assegurar a construção de uma sociedade justa.

O diretor do Câmpus VIII, Leidimar Bezerra, disse que este dia da entrega do novo bloco dos cursos de Engenharia Civil e Física foi aguardado com muita expectativa e reconheceu o empenho da Administração Central da UEPB, que não mediu esforços para concluir a obra mesmo em tempos de crise. Leidimar afirmou ainda que a partir de agora os estudantes dos três cursos do Câmpus de Araruna terão as condições que almejavam para obter uma formação profissional em nível de excelência.

O senador José Maranhão também parabenizou a UEPB pela nova estrutura do Câmpus de Araruna e se colocou a disposição para buscar investimentos para a Instituição. Ele também fez menção à educação como fundamental para o desenvolvimento do Brasil e particularmente da Paraíba. Para ele, o país só conseguirá se emancipar economicamente se conseguir se emancipar cientificamente e tecnologicamente.

Conforme o senador, sem o domínio da ciência não há progresso. “O Brasil não tem outro caminho se não o da modernização do ensino, a exemplo de outros países que conseguiram se emancipar através do conhecimento”, afirmou. Nesse sentido, a UEPB, segundo ele, tem dado grande contribuição para o desenvolvimento sustentável do Estado, gerando qualidade de vida para a população.

O deputado Benjamim Maranhão ressaltou que a UEPB levou desenvolvimento e libertação para Araruna. O parlamentar observou que a inauguração do bloco de Engenharia Civil e Física consolida de vez a chegada do Câmpus na cidade. Em seu discurso, ele enalteceu a gestão atual da Instituição e disse que os três cursos existentes no CCTS não deixam nada a desejar em excelência às grandes instituições de ensino superior do Nordeste.

A prefeita de Araruna, Wilma Maranhão, também classificou como um novo tempo a inauguração da nova estrutura do Câmpus VIII. Ela disse que a chegada da UEPB em Araruna promoveu uma grande mudança, gerando desenvolvimento e perspectiva de vida. “Esse é um grande sonho que se realizou. Para Araruna, a UEPB foi um passo decisivo para o seu desenvolvimento e hoje é um dia histórico para a nossa cidade, com essa nova estrutura”, enfatizou.

Após os discursos houve o descerramento da placa inaugural. Em seguida, todos conheceram as dependências do Complexo, a exemplo das salas de aula e da estrutura dos laboratórios de Hidráulica, Estruturas, Geotecnia, Informática, Desenho, Saneamento, Geologia, Química, Biologia, Topografia, bem como, das três clínicas odontológicas. Um vídeo também foi exibido com registros fotográficos de vários momentos do Câmpus VIII feitos pela jornalista e fotógrafa Paizinha Lemos.

O prédio dos cursos de Engenharia Civil e Física foi orçado em R$ 6,6 milhões. A construção teve início em julho de 2012 em uma área de 4.300 metros quadrados. O Complexo abriga 12 laboratórios devidamente equipados com 16 salas de aula e 15 salas para professores. Já as três clínicas escolas do curso de Odontologia foram totalmente reformadas, em um investimento superior a R$ 1,2 milhão. Cada clínica tem capacidade para atender até 43 pacientes ao mesmo tempo. Somente esta semana, mais de 300 pessoas receberam atendimento, segundo o coordenador Gustavo Gomes Agripino.

O Câmpus de Araruna “Professora Maria da Penha” foi inaugurado no dia 20 de setembro de 2010 e abriga os cursos de Engenharia Civil, Física e Odontologia.

Texto: Severino Lopes
Fotos: Paizinha Lemos